Você sabe qual a técnica para realizar a punção lombar?

A melhor localização para executar uma Punção Lombar dependerá das instalações locais, mas uma sala de tratamento ou algum lugar calmo e silencioso é preferido.

A atitude de operador e assistente deve ser de confiança, calma e tranquilidade. Um operador experiente terá o paciente consentido, posicionado e confortável. A partir do momento da lavagem das mãos até a obtenção da primeira amostra do LCR deve levar cerca de oito a dez minutos.

É necessária uma técnica asséptica e material pré-preparado contendo todos os equipamentos necessários, além da agulha, lidocaína e manômetro.

l TÉCNICA DA PUNÇÃO LOMBAR l
1. A pele deve ser esterilizada com álcool 70% ou clorexidina 0.5%. O antisséptico deve secar antes do início do procedimento.
2. Depois que a pele é adequadamente preparada, é deixada secar e um campo fenestrado estéril é aplicado deixando a abertura sobre a coluna lombar do paciente.
3. Um botão intradérmico aplicado com seringa de insulina no local da punção lombar (0,5 ml de lidocaína a 1%) produzirá anestesia cutânea quase imediata.
4. Uma pequena quantidade de lidocaína pode ser infiltrada em tecidos mais profundos, mas deve-se tomar cuidado para não distorcer a anatomia local administrando muito anestésico local. Se for anestesiada somente a pele e se seguir uma trajetória correta, há pouco benefício em infiltrar grandes volumes de anestesia.
5. Uma agulha medular de #20 ou #22 com um estilete é inserida no espaço intervertebral lombar. A agulha da coluna vertebral pode avançar lentamente, inclinando-se ligeiramente para a cabeça, como que apontando para o umbigo. A superfície plana do bisel da agulha deve ser posicionada paralela aos flancos do paciente para permitir que a agulha separe, em vez de cortar a dura-máter (cujas fibras correm paralelas ao eixo da coluna). A distância aproximada do espaço peridural da pele é de 45 a 55 mm. Muitos médicos optam por avançar gradualmente a agulha, removendo o estilete periodicamente para verificar o fluxo de LCR, depois reinserindo o estilete até entrar no espaço subaracnóideo.

NOTA: o problema mais comum encontrado pelo médico é a agulha que atinge uma estrutura óssea – ou a superfície superior do processo espinhoso de L4, ou a superfície inferior do processo espinhoso de L3. Se a ponta da agulha for avançada além de 50 mm e a agulha atinge o osso, então, provavelmente, foi impactado o osso ao redor do espaço intervertebral.

REFERÊNCIA
Série Manuais Terzius. Manual do curso Habilidades Médicas I. Instituto Terzius, Campinas, Volume 1, 2018.

Deixe um comentário

carrossel_06-complementar_02